banner_triunfo_02.png
  • Voz de Portugal

Dicas de filmes e comentários de Diego Cosac para o entretenimento neste período de quarentena

Por Pedro Henrique de Sousa


Os 10 diversos e diferenciados filmes, com comentários e curiosidades, para assistir

e reassistir na quarentena. De infantil à terror. Somente o melhor do cinema.

Todos são "must see!"


Psicose - Filme mais famoso do mestre dos thrillers Alfred Hitchcock. De tão marcante e icônico, é considerado o cinema de suspense/terror antes e depois dessa produção. O assassinato no chuveiro, onde Hitchcock usou simplesmente 8 câmeras, tornou-se a cena mais famosa da história do cinema em uma pesquisa de uma revista americana (em 2o lugar ficou a cena de Marilyn Monroe, de vestido branco, segurando a saia em " O Pecado Mora ao Lado"). Revolucionário, foi a primeira vez que apresentou uma protagonista que morria durante primeira meia hora de filme deixando o público confuso quanto a sua continuação. O longa conta a história de Marion Crane que rouba uma significativa quantia de dinheiro indo se hospedar no Motel Bates. A partir daí a narrativa ganha força! Norman Bates, magistralmente interpretado por Anthony Perkins, é considerado um dos maiores vilões da história cinematográfica. Importante ressaltar a relação de Hitchcock com a psicanálise, sendo ele o cineasta mais estudado em cursos de psicologia e psicanálise por ir a fundo na mente e no inconsciente humano.



ET - O Extraterrestre - Steven Spielberg nos brindou com algumas das maiores produções da indústria cinematográfica, tendo o seu nome virado uma verdadeira grife, como diretor, produtor e dono do estúdio DreamWorks, está em destaque em dezenas de grandes sucessos. É o diretor mais rentável da história do cinema, seus filmes combinados já renderam mais de 20 bilhões de dólares (fazendo dele próprio um dos homens mais ricos do mundo, cuja fortuna de quase 4 bilhões de dólares é avaliada pela revista Forbes). Também é o diretor com mais número de filmes entre os "100 Filmes Mais Importantes de Todos os Tempos" feito pelo American Film Institute, fazendo dele um dos mais populares e importantes cineastas da história do cinema - considerado o pai dos blockbusters de verão. No entanto, o mais singelo e doce filme já feito pelo grande mestre, é o adorável "ET". Aficionado em ufologia, Spielberg já havia feito sucesso com "Contatos Imediatos de Terceiro Grau", abordando a questão da vida fora da terra sempre de uma maneira muito terna. "ET" é um tipo de cinema que as pessoas não esquecem e assistem independentemente da idade. A trilha sonora feita em parceria com o gênio John Williams, que trabalhou com Spielberg em diversos hits como "Tubarão" e "Jurassic Park", tornou-se tão icônica quanto o próprio filme. A cena que ET, Elliot e a bicicleta voando, cruzam o céu, atravessando a lua, tornou-se uma das cenas mais famosas no inconsciente popular virando inclusive logotipo da produtora de Spielberg. O filme é uma obra prima emocionante que Spielberg deixou como legado para humanidade. Virou um ícone dos anos 80, um ícone de todas as épocas...



O Leopardo - Ninguém filmou a decadência da aristocracia italiana como o gênio Luchino Visconti - tendo em vista que ele mesmo era um aristocrata, conde Lonate Pozzolo, filho de um duque, herdeiro de uma fortuna da indústria farmacêutica milanesa por parte de mãe. Tornou-se um ícone do neo-realismo italiano. Nessa obra impecável, inspirada no Príncipe de Lampedusa, os astros Burt Lancaster, Alain Delon e Claudia Cardinale, brilham nos mostrando um período importante da história italiana chamado Risorgimento, quando um aristocrata se vê obrigado a casar seu filho com a filha de um burguês por questões financeiras. Tem a cena mais bela e longa de um grande baile já filmada na história.



O Segredo de Brokeback Mountain - Nesse longa temos uma quebra de tabus e preconceitos enorme pois esse filme foi o franco favorito ao Oscar dando o prêmio de melhor diretor para Ang Lee em 2006. Revolucionário, virou um marco do cinema LGBT. Conta a paixão tórrida e duradoura entre dois cowboys no interior dos Estados Unidos nos anos 60 - uma sociedade muito preconceituosa. Concordo com Arnaldo Jabor, que é uma grande história de amor, um lindo romance, que poderia ser entre um homem e uma mulher, mas por acaso acontece entre dois homens. De fato, precisou de um chinês culto para fazer um filme como esse.



A Noite dos Mortos Vivos - No Now. George Romero se consagrou como um dos maiores cineastas com esse longa de baixíssimo orçamento criando um subgênero do terror/horror que são os filmes de zumbis. Romero é o responsável por essa zumbimania mundial, tendo hoje zumbis em todos os cantos, de séries à publicidade. "A Noite dos Mortos-Vivos" pode não ter sido o primeiro filme de zumbis, mas é considerado um marco zero pela sua importância. Considerado um filme B, trash, no seu lançamento, cinema gore raiz, virou um dos filmes mais cults atualmente., Mostrando um grupo de pessoas encurraladas em uma casa quando mortos começam a levantar de suas sepulturas devorando os vivos. Ainda com "Madrugada dos Mortos" e "Terra dos Mortos", Romero fez uma das mais famosas trilogias do cinema. Romero inclusive saía coletando restos de película, que eram caríssimas, nas filmagens de seus amigos nos estúdios, colava uma na outra e fazia seu próprio rolo de filme. Um gênio!



O Poderoso Chefão - Toda a trilogia é genial fazendo dela a trilogia mais famosa do cinema. Muitos filhos da Nova Hollywood se consagraram em filmes de máfia. Brian de Palma (Scarface), Martin Scorcese (Cassino) e claro Francis Ford Copolla com esse icônico longa que nos narra as intrigas e assassinatos nos bastidores da máfia ítalo-americana. Tendo no mesmo filme dois verdadeiros e lendários deuses das artes cênicas, o veterano Marlon Brando e então iniciante Al Pacino, nos revela a saga do clã Corleone e as disputas de poder para manter a contravenção e o crime nas ruas das grandes cidades americanas. Baseado no romance de Mario Puzo, é considerado uma das maiores obras-primas da história do cinema.



Central do Brasil: Quando Walthinho Moreira Salles dirigiu "Central do Brasil" não imaginava que estava confeccionando um dos filmes latino-americanos mais importantes de todos os tempos. É lindo na mesma proporção que é triste. Emocionante, conta a estória de um órfão em busca de seu pai no nordeste do Brasil. Ponto forte do filme é Fernanda Montenegro, cuja personagem, uma professora que escrevia cartas na famosa central de trem carioca Central do Brasil afim de arrumar alguns trocados, passa ajudar e criar laços afetivos com o garoto. Nesse road movie, Montenegro, mostra todo seu vigor dramático e cênico nos brindando com uma atuação atemporal e memorável. Ao ponto de ser a única atriz sul-americana indicada ao Oscar de melhor atriz por essa obra que também foi indicada como melhor filme estrangeiro. Montenegro, premiadíssima, possui um Grammy, entre outros prêmios internacionais, como o Urso de Prata em Berlim também recebido através desse trabalho.

Uma façanha do filme é juntar duas das maiores atrizes brasileiras de todos os tempos, Fernanda Montenegro e Marília Pêra.



Mary Poppins - Provavelmente o maior clássico musical infanto-juvenil de todos os tempos. É um filme que encanta gerações e gerações de pessoas com músicas atemporais. O longa mostra uma personagem um tanto intrigante, a babá mágica Mary Poppins, que com o mudar do vento, literalmente voando vem ajudar a problemática família Banks, mudando o destino de todos radicalmente. Todo o brilhantismo de Walt Disney está ali, que lutou anos para conseguir os direitos da obra com a autora para poder realizar o longa (aliás a melhor edição brasileira é da Cosac Naify que fez um box deslumbrante). Pela primeira vez se juntou cartoons com live action, ou seja desenho animado com atores de verdade, de carne e osso. Fato que foi muito questionado na época e que revolucionou o mundo dos filmes de animação. A obra prima ganhou inúmeros Oscars e um Oscar de melhor atriz para a estreante Julie Andrews, perfeita no papel título. Máximo!



Encontro Marcado - No Netflix. Quando um magnata é escolhido pela morte para guiá-lo pelo mundo dos vivos até ser levado por ela, um império de mídia se vê ameaçado. Nesse longa, podemos admirar a beleza, no seu auge, de um dos maiores galãs do cinema Brad Pitt. Mas a marcante atuação de Anthony Hopkins nos mostra o porquê ele faz parte de uma trindade, junto com Al Pacino e Jack Nicholson - os nomes vivos mais intocáveis de Hollywood, parte de um seleto e exclusivo Olimpo de super atores. Diálogos impecáveis compõem esse intrigante longa. É um filme diferente de tudo que era produzido em Hollywood naquela época. Curiosamente, apesar de tratar do sobrenatural, não é um filme com essa pegada. A realista e eximiamente executada, cena chocante do atropelamento do personagem de Brad Pitt que dá início a narrativa e a trama principal do filme, é incrível.


Do Inferno - O primeiro grande serial killer da história surge na capital inglesa assustando a sociedade vitoriana da época. Trata-se de Jack O Estripador, dos personagens mais icônicos dessa era junto de Dorian Gray e Jekyll and Hyde. Muito embora esses outros dois sejam personagens ficcionais e atribua-se a Jack O Estripador todos os muito reais crimes que foram cometidos na região londrina de The Whitechapel, quando diversas prostitutas começaram a surgir estripadas. O filme se concentra nessa narrativa. É o longa mais subestimado com o astro Johnny Depp - o grande camaleão do cinema que muda drástica e dramaticamente de um papel para o outro. Sobre Depp, podemos dizer que é um ator que faz um processo de criação muitas vezes o oposto de seus colegas, trabalhando os seus personagens de fora para dentro e não o contrário. Primeiro encontra os maneirismos, gestos e falas de seus personagens, para depois trabalhar a intenção e o subtexto dos mesmos. É genial!


Diego Cosac é cineasta, produtor da Crystal Pictures Entertainment, crítico do site Cine Panorama, formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro - Instituto Brasileiro de Audiovisual.

46 visualizações
banner_grupo cofico.png
banner_arouca.png
banner_bom e barato.png
banner_686 gourmet.png
banner_breeze's.png
banner_esc. contabil vieira.png
banner_seu antonio.png
banner_AAP.png

© 2020 por Voz de Portugal. Criado com amor por Nathalia Maciel