banner_triunfo_02.png
  • Voz de Portugal

Covid-19: Instituições querem “apontar uma data” para retomar visitas aos idosos



Lisboa, 03 de maio 2020 - A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) defendeu que é preciso "apontar uma data" para a retoma das visitas aos idosos em lares, considerando que "hoje era já um dia bom", com a celebração do Dia da Mãe.

"Com testes feitos [da covid-19], doentes a serem tratados como devem ser tratados, com equipamentos de proteção individual, com distanciamento assegurado, penso que o dia 03 de maio, dia de hoje, era já um dia bom para isso, não é possível, mas é o Dia da Mãe, era uma forma concreta de o podermos celebrar", afirmou à Lusa o presidente da CNIS, Lino Maia, reforçando que tal "não é possível", porque "não está decidido".

Segundo a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, ainda não é possível apontar uma data certa para o levantamento da suspensão das visitas em lares, instituições que estão de portas fechadas, a nível nacional, desde 16 de março, situação que se iniciou na região Norte, em 07 de março.

"Primeiro é preciso eliminar riscos, reduzir ao mínimo o perigo de contágio, e é isso que estamos a fazer ao testar todos os funcionários de lares - o perigo vem de fora - e idosos sintomáticos a nível nacional, o que deverá estar concluído daqui a duas ou três semanas”, afirmou a ministra Ana Mendes Godinho, na sexta-feira, numa entrevista ao jornal Expresso.

“Soma-se a isso a formação dos trabalhadores em questões de segurança e o reforço dos recursos humanos. E, mesmo assim, só se avançará com datas quando a avaliação técnica da Direção-Geral da Saúde (DGS) o permitir", acrescentou.

Para o padre Lino Maia, presidente da CNIS, deve-se, "pelo menos, apontar uma data" para o levantamento da suspensão das visitas aos idosos que estão em lares, lembrando que a proibição das visitas "foi a primeira medida adotada" no âmbito da pandemia da covid-19, em que "as instituições cumpriram religiosamente e compreendem perfeitamente essa medida", mas "já lá vão dois meses".

"Os idosos estão ali enclausurados", ressalvou Lino Maia, reclamando que "não podem ser esquecidos, não podem ser abandonados".

"Com testes feitos, com equipamentos de proteção individual assegurados, com os doentes covid-19 a ser tratados como devem ser tratados, com identificação de espaços para que só uma visita de cada vez possa ser feita, com distanciamento entre o utente e a visita, com moderação, com programação, penso que era oportuno pensar-se já em visitas", reforçou o presidente da CNIS, em declarações à agência Lusa, acrescentando que os idosos também vão tendo notícias sobre a retoma da atividade económica e a reabertura de escolas e creches.

Assim, as instituições de solidariedade defendem que é "conveniente e necessário" avançar com uma data a partir da qual será possível retomar as visitas nos lares, de forma programada, acautelando que não se trata de "escancarar as portas".

6 visualizações
banner_grupo cofico.png
banner_arouca.png
banner_bom e barato.png
banner_686 gourmet.png
banner_breeze's.png
banner_esc. contabil vieira.png
banner_seu antonio.png
banner_AAP.png

© 2020 por Voz de Portugal. Criado com amor por Nathalia Maciel