top of page
banner_triunfo_02.png
  • Foto do escritorVoz de Portugal

Bia Dória, primeira dama de São Paulo

Por Pedro Henrique de Sousa


Bia Doria é natural de Santa Catarina e tornou-se primeira-dama do Estado de São Paulo em janeiro de 2019, quando João Doria foi empossado Governador do Estado.

Mãe de três filhos, a artista plástica, reconhecida internacionalmente, sempre trabalhou com causas sociais e agora está à frente do Fundo Social de São Paulo, onde se dedica especialmente à implementação de projetos voltados à geração de renda para a população em situação de vulnerabilidade.

Paralelamente, Bia Doria mantém ativa sua produção de esculturas, usando como matéria-prima resíduos de florestas de manejo e árvores resgatadas de queimadas e fundo de rios. A sustentabilidade é a essência da sua arte.

Suas esculturas contemporâneas já foram exibidas no Brasil, França, Alemanha, Estados Unidos e Itália, onde ganhou prêmios, como o da 10ª bienal de Florença 2015 e o 35º Prêmio Internacional “Fontanedi Roma”, concedido pela Accademia Internazionale La Sponda.


Quais as ações mais importantes que você tem praticado no comando do Fundo Social de São Paulo?

Bia Doria: Nesse momento de pandemia, estamos focados em auxiliar as pessoas em situação de vulnerabilidade social com distribuição de cestas básicas e kits de higiene e limpeza. Tenho visitado comunidades da capital paulista para levar os alimentos. Nosso aplicativo “São Paulo Mais Humana” (www.saopaulomaishumana.sp.gov.br) também tem sido muito importante neste momento: através dessa ferramenta, as pessoas podem ajudar diretamente entidades sociais que estão precisando de ajuda. Temos ainda a campanha Inverno Solidário, que será lançada em breve, para estimular a doação de cobertores novos durante o período de frio. Paralelamente a esses trabalhos, ainda temos a Praça da Cidadania, um espaço que estamos implantando dentro de comunidades carentes com escolas de qualificação profissionais gratuitas e áreas de lazer.

Quais são os principais desafios que enfrenta a primeira-dama do Estado de São Paulo?

BD: Atender a todos que pedem ajuda.

Como você se relaciona com os críticos de arte?

BD: Muito bem. Fico atenta à opinião dos críticos.

Você pensa em abraçar a carreira política em algum momento?

BD: Nunca.

Como está sendo sua quarentena? É uma oportunidade para você dedicar mais tempo ao trabalho artístico?

BD: Durante a quarentena tenho me dedicado, principalmente, as ações do Fundo Social de São Paulo, sempre respeitando as orientações de distanciamento e uso de máscaras. Em relação ao meu trabalho como artista plástica, continuo, sim, mas com menos intensidade. Não pararei de criar arte.

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


banner_grupo cofico.png
banner_arouca.png
banner_bom e barato.png
banner_686 gourmet.png
banner_breeze's.png
banner_esc. contabil vieira.png
banner_seu antonio.png
banner_AAP.png
bottom of page